terça-feira, 5 de agosto de 2008

Desconstrução



Mazl Tov Dances - Maxwell St. Klezmer Band - You Should Be So Lucky!


Descobri o que aconteceu! O porquê de não conseguir mais fazer tarefas básicas e antes tão apreciadas, tais como... postar no blog.
Primeiro: num dos cursos que fiz durante a gravidez (minha mãe diz que o Theo vai nascer com diploma embaixo do braço, de tantos cursos que fiz), nos foi confidenciado por um dos médicos que assim como todos os outros orgãos do corpo, durante a gestação também o cérebro incha. E isso reduz a atividade do tal. Então, por mais que se brinque que a mulher emburrece durante a gravidez, lá no fundo existe uma ponta de razão. Não necessariamente emburrece, mas, digamos, torna-se mais... "lenta". E demora um tempo pós-parto pra voltar ao normal, acredita? E eu querendo ter outro em seguida...
Segundo: mini-enlouqueci. Como tenho um certo treinamento-militar-psicológico, consigo manter as coisas funcionando por fora, mas por dentro, ah! Outra personalidade habita esse corpinho (já não tão "corpinho", diga-se de passagem). Me vejo falando e fazendo coisas antes impensadas, tenho colocado a culpa nos hormônios, invariavelmente. Me calo por dias, aí fico verborrágica de uma hora pra outra, não importa quem esteja por perto. Entendo hoje porque tão poucos casamentos que se realizam durante a gravidez terminam assim que o bebê nasce, se é que aguentam até lá. Deus me livre casar com uma grávida!!!
Sorte que tenho excelentes amigas e uma família que é brasileira e não desiste nunca de mim.
Mas vejam, a lua muda dia 30 de agosto e arrisca esse menino se prontificar para vir ao mundo. Aí teremos os meses de loucura inicial e tcharann! Espero voltar, em versão mais sã e melhorada.
Enquanto isso, continuo passando duas horas em pé na cozinha pra fazer bolo de carne com legumes e sobremesa de morango, "porque deu fominha", continuo descontando raivas e angústias passando pano na casa toda (e morrendo de dores à noite), comendo MacLanche Feliz pra ganhar o brinquedo, enfim... essas pequenas insanidades nossas de cada dia.



8 comentários:

Lonely Paul disse...

Hello

Kaká disse...

Sua maluca, adoro você!
Tomara que venha mesmo no dia 30, estarei aí. Ah, e amanhã também! Fico até terça, se estiver verborrágica me avise, ok?
Beijo!

Ana disse...

Úli, filha minha!!
Que bom que vc já se "desconstruiu". Essa foi uma das melhores expressões - inclusive a figura que vc achou p/ilustrar - do que é ser mãe. Pode crer, agora está pronta prá parir e criar.Estas sombras superpostas às suas costas (bem no cerebelo, cérebro límbico, lugar dos atavismos), estarão aí para sempre, cada uma representando o(s)filho(s) ou partes da personalidade MÃE.
A coisinha fôfa com cheiro de nuca de encantar até filósofo do MST, vai crescendo e grudado no seu cangote, segue vida afora precisando, pedindo e querendo sempre alguma coisa mais e vc, atrelada, passa a pensar segundo as vontades (que para a mãe são entendidas como "necessidades básicas")dele(s).
Mas isso é bom (natural até certo ponto, né? - p/as alemães e americanas menos, p/as italianas e latinas, mais) - porque se a gente não tem sequer a mãe prá ser incondicional conosco, quem então??
Estou contigo e não abro nunca - me diga quem é falou grosso com vc que eu subo no banquinho e vai sobrar farofa esparramada.
Deus te abençôe, beijos, Mãii...

Blogiana disse...

Amore, to pra te responder o email faz 1 seculo!!! Me faz um favor? Me manda seu endereco? QUero mandar um presentinho pro Theo, que vc vai amar!!!

Bj
Adri

Carola disse...

Ai... é assim mesmo, não fica se preocupando à toa! É assim mesmo, tá tudo certo! Hahahahahaha!!

Então agora eu entendo o que foi que aconteceu comigo... rsss!!

Fica fria, moler!!! Relaxa!!

Bjus, cuidem-se!

WE3 disse...

Menina, qdo eu tava prenha deixava tudo cair no chão, lerdiei total... Mas como faz pra" instalar"aquele treco que vc falou?
bjo

Raquel disse...

Olá,
Uma amiga me enviou seu blog apra eu conhecer. E, ela tinha razão quando disse que eu ia adorar. O fato é que ha um ano e oito meses ganhei o meu Théo nasceu. Ele tb é o primeiro filho e grande parte do que vc escreve eu vivi.
Quanto a sua lentidão... só depois fui entender... como é importante a nova noção de tempo que eles nos ensinam... vamos desbatizando o mundo e seu ritmo!!!
Espero que vc viva, tb ,com bastante semelhanças, os momentos mágico que vivi quanto ele nasceu. O meu Théo é uma suspensão do tempo, sou antes e depois do Théo.
Bjo para vc e para o Théo.
Raquel

Uli disse...

Raquel, não tive como te achar, espero que entre aqui de novo. A ansiedade tá batendo na porta, tô terminando tudo que posso antes dele nascer pra me dedicar bem a ele após o parto.
Saúde pro seu Theo e pra você! Volte sempre, agradecemos a preferência!
ps: que amiga lhe indicou?