domingo, 15 de julho de 2007

Corrente do Bem

Ando sumida. Resolvi lixar e envernizar meus móveis do consultório, mas me descobri lenta na tarefa. Fora meus "punhos de aço", já um tanto debilitados pela tendinite.
Bom, hoje recebi uma tarefa desfiadora e ingrata de certa forma. Veio através do meu amigo Henry, autor de muitas coisas, entre elas o blog O Crítico. Eu deveria participar de uma "corrente", indicando meus 5 livros preferidos (como assim??? Só cinco?) e repassar a tarefa para outras cinco pessoas. Achei que seria impossível, então escolhi como critério "aqueles-que-marcaram-a-minha-vida-e-que-viessem -facilmente-à-memória". Até que não foi tão complexo. And the Oscar goes to:

Se...será, Serafina?, de Cristina Porto. Na lista por ter sido o primeiro livro que li na vida, "era o verão de 1982, estava eu com 6 anos e meio..." Serafina é uma menina questionadora e cheia de imaginação, que já foi girafa, girassol, pirilampo, samabaia... e como girafina, girassolina, lamparina e samabarina ela vai descobrindo o mundo. E na metade final do livro ela escreve um diário, onde relata suas descobertas e pensamentos sobre a vida. E minha emoção a cada página "vencida" ficou gravada em minhas entranhas.

As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley. São 4 volumes, já os li 3 vezes, aos 14, 20 e 28 anos. Cada vez com uma visão de mundo e me encantando por algum personagem diferente. Narra a história do Rei Artur e seus cavaleiros a partir da ótica de sua irmã, Morgana. A história perfeita. Recomendo sempre a quem não tem o hábito da leitura.


O Perfume - História de Um Assassino, de Patrick Süskind. Recentemente lançado em vídeo, porém como todo leitor há de concordar comigo, a emoção de ler uma história é incomparável (salvo raras exceções) à de assistir ao filme. Tenho "faro de perdigueiro" e os odores relatados no livro, fora a vida miserável do protagonista, me tocaram profundamente.


Anarquistas, Graças a Deus - Zélia Gattai. Primeira incursão da simpática senhora Jorge Amado no mundo literário, tem um sabor nostálgico, uma simplicidade encantadora. Me traz memórias que aquecem a alma, pois sem causa específica, penso nele e imediatamente me vêm a imagem da minha saudosa avó materna, pessoa muito especial na minha vida. Li os livros seguintes da dona Zélia, mas nenhum mexeu tanto comigo como Anarquistas.

A Coleção Harry Potter. J.K.Rowling. Sim, eu amo! Estou abalada que o último livro será lançado esse mês, um vazio tomando conta de mim. Harry Potter já se tornou um clássico da literatura inglesa, além da autora ser a primeira escritora bilionária a se ter notícia. Não importa, ela fez por merecer. Criou um novo universo, escreveu enredos inspirados, personagens cativantes e me fez querer estudar em Hogwarts. Já vale. A disputa era entre Harry Potter e o Senhor dos Anéis, mas neste último o filme me chamou mais a atenção. Então Harry Potter no pódio!

Quanta nostalgia! Nenhum clássico entrou na lista, pouca literatura "adulta", mas acredito ter sido fiel ao meu critério inicial.
E agora passo a tocha adiante. Como meus amigos se dividem em "gosto de ler e não tenho blog" e "tenho blog e não gosto de ler", com raras exceções, vou primeiro consultar quem reúne as duas condições e amanhã indico os finalistas. Mas dois já ficam indicados, o Rod - Expirou e meu pai .
Namastê.

-Hoje sem música, que é pra ler sem distrações. ;o)

Um comentário:

Rodrigo disse...

Abby, ADOREI a idéia!! E já fiz a minha listinha. Have fun...
Bisous.