terça-feira, 19 de maio de 2009

Estado de graça


Meus sais, como esses dias têm voado. Theo um tempinho de nada atrás tava dentro do barrigão, agora já fez 8 meses e só apronta, o menino.
Faz tempo que não conto dele, deixa dizer que esse meu pequenino é realmente um serzinho abençoado. Ri da vida, sempre! Com 6 meses começou a se arrastar por tudo (não entendeu bem o processo de engatinhar oficialmente, mas tá valendo). Já fica em pé sozinho, se segurando nas coisas. Subiu numa estante esses dias pra tentar pegar um livro, já peguei-o no segundo degrau da escada, já prendeu dedinhos na gaveta da cozinha, hoje mesmo puxou uma cadeira pesada de madeira em cima de si, fez galo na cabeça e um belo machucado na testa.
Mas sabe? Não me apavoro. Na hora vem o choro e claro que colo de mãe (e de tia, de vó) serve pra acalmar. Logo ele esquece que se machucou e já tá dando risada de novo.
Vejo como a maternidade depois dos 30 é benéfica em tantos aspectos: tenho disciplina e paciência (e consciência da importância!) de preparar comida fresca pra ele todos os dias. Sopa e papinhas de frutas, além da outra paciência, a de dar comida 3 a 4 vezes por dia pra alguém que se distrai até com um fiapo preso na roupa. A de montar e desmontar o aparato de banho todas as noites, porque sei que na banheira ele relaxa e dorme melhor (depois do banho, calma!)que no banho de chuveiro; a "vontade imposta" porém necessária de brincar com os mesmos brinquedinhos de borracha todos os dias, inventar historinhas diferentes pra cada um, cantar as musiquinhas mais bestas e dançar como uma retardada só pra ganhar um sorriso e uns minutos de entretenimento, porque ele merece. Saber a hora de dizer tchau e cuidar um pouco de mim, dos meus afazeres, do consultório, enquanto ele aprende que mamãe faz parte, mas não É parte dele.
E isso tudo amando profundamente e vivendo cada minutinho com esse bebê ao máximo, pois sei que logo acaba e ele vai pra vida, eu sou só a base da construção.
Aos que me lêem sempre, desculpe o sumiço. Mas esse post é meio auto-explicativo, né? Sinto muita falta daqui, mas tem alguém que PRECISA da minha presença, corpo e mente, nesse momento da vida. Aí que posts, só quando não tô desmaiada de cansaço em algum canto. Logo, espero!
Namastê.



3 comentários:

Tali Godoy disse...

Nem precisava se explicar, dona Uli... imagino que o Theo deve estar preenchendo todos os espaços de sua vida!!!...rsrs

Mas quando der, apareceça... =)

Beijo

Lorena disse...

É muito bom saber que o motivo do teu sumiço é o melhor dos motivos!
Aproveite muito!
bjos

Deia Roos disse...

Em meio a tanta correria penso que talvez não deveria convidar mas de qualquer maneira não vou retirar a minha primeira impressão de que você gostaria de participar:
Você foi convidado a participar de uma brincadeira entre amigos blogueiros.
As regras são:
1 - Agarrar o livro mais próximo;
2 - Abrir na pagina 161;
3 - Procurar a 5ª. frase completa;
4 - Colocar a frase no blog e convidar os amigos a fazerem o mesmo;
5 - Repassar para algumas pessoas e avisá-las.
Conto com a sua postagem.
Valeu!
Penso que mesmo estando curtindo esse momento tão belo e íntimo que é ser mãe em tempo integral vale a pena ler sempre um bom livro mesmo que seja só p/ postar uma frase no blog.
Beijinhos com carinho em vc e no seu pimpolho!