sábado, 17 de abril de 2010

À toa

Tô preguiçosa confessa. Ando só querendo ler blogs alheios e com uma preguiça danada de postar por aqui.
Cansaço muito. Essa madrugada finalmente terminei de ler "Os Homens que Não Amavam as Mulheres". Que livro sinistro. Assim, romance policial, o escritor é (era, morreu logo após entregar os livros pra editora) detalhista mais que ao extremo, mas assim que a leitura engrena e você passa por cima daquela montoeira de palavras estranhas aos latinos (tudo se passa na Suécia, nomes dos jornais, cafés, lagos, paisagens, tudo tem meia dúzia de consoantes a mais do que estamos habituados a ler), aí a trama se torna difícil de largar.
Mas... a pessoa aqui não pode se dar ao luxo de parar o dia pra ler ad infinitum, ou seja, dormi entre 3 e 4 da manhã a semana toda, engolindo as páginas.
Pior: é uma trilogia e já comprei os dois seguintes. Mas vou dar um tempo, ler algo mais suave, que esse autor é bem "perturbado das idéias".
Todos casos, indico a leitura. 522 páginas de dar nos nervos.





2 comentários:

Rod Sánchez disse...

Hummm, deu vontade de ler. :)

Manifesto Interno disse...

Oi Uli!

Que delícia de blog! Diverti-me e apreciei sua forma de escrever, fiquei com aquela sensação de estar no aconchego de uma casa amiga, tomando um bom café,

Feliz de passado por aqui!

Bjs,
Ester.~